Domingo, 10 de Maio de 2009

Elas & Eles

As mulheres são coquetes, submissas exageradamente emocionais e sexualmente passivas
Os homens são agressivos, menos emocionais, pouco carinhosos, sexualmente activos e nada sensíveis…
Estes estereótipos não se baseiam em nenhuma verdade científica irrebatível ou absoluta, e não constitui na verdade mais do que falsos preconceitos.
Mas enquanto a sociedade continuar a considerar como dado adquirido que uma mulher e um homem devem ter comportamentos diferentes, vai ser difícil uma mulher transformar-se em algumas áreas, em uma profissional qualificada e ser reconhecida e respeitada como tal.
O homem, vai ser rotulado quando escolher determinadas profissões que para alguns são pouco masculinas, (cabeleireiro, bailarino ,estilista. etc ) mesmo que não se assuma vai ser visto socialmente de  forma depreciativa como “maricas picolho gay”
Quem dúvida desta afirmação, que dê uma vista de olhos ao ambiente da empresa em que trabalha.

Imaginem o que aconteceria se um executivo, um chefe, ou o  vosso colega do lado se permitisse chorar em público ou dar a mão a um outro colega homem. Como seria se fossem juntos ao WC...  Ou  indo mais longe, dois amigos dormirem juntos.. dividirem a cama ... isto é inconcebível para um homem. Fazem logo altos filmes de sexo louco em que os dois obrigatoriamente se comem. 

Isto são comportamentos totalmente normais que as mulheres têm todos os dias entre si sem qualquer vergonha.
Preconceitos há parte há que mudar mentalidades, principalmente masculinas. Os homens são os principais inimigos dos homens.

 

publicado por Saia-Justa às 20:20
link do post | comentar | favorito
|
36 comentários:
De Jorge Soares a 10 de Maio de 2009 às 23:26
Olá

Estou de acordo.... em quase tudo, excepto num detalhe, é preciso mudar mentalidades sim, mas não é só nos homens, nas mulheres também...elas são uma parte importante na educação dos filhos, e é por aí que se deve começar.

Se fores perguntar quantas mulheres querem dividir o período de licença parental, vais ver que mais de 90% diz que não...e podia dar mais exemplos. É preciso mudar mentalidades sim.... todas as mentalidades, as deles e as delas.


Boa semana
Jorge
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 09:52
Bom dia

Se leste o final do post, dizia o seguinte:
(Preconceitos há parte há que mudar mentalidades, principalmente masculinas.)
O que não quer dizer que não se tenha que mudar também a feminina.. Mas atenção que isto é apenas a minha opinião.

A mulher é parte importante na educação dos homens concordo, somos nós que os ensinamos de tenra idade.
Mas há que referir que é quase uma “luta inglória “… não vivemos sozinhos nem em redomas.
A mãe dá o básico na formação de um filho, ajuda a construir os alicerces e transmite valores, mas a verdadeira formação é feita pela vida e pela sociedade onde estamos inseridos todos os dias vamos moldando o nossa carácter .
Ora por muito que se queira vivemos numa sociedade preconceituosa, machista e cheia de estereótipos e por vezes adopta-se comportamentos com o único objectivo de não se ser diferente.

No caso da licença parental estas a contextualizar um assunto muito especifico.. Não sei se 90% diz não, também me parece que é um assunto a decidir a dois e a ponderar vários factores… ainda não estou a ver nenhum homem a amamentar … ainda é uma exclusividade da mulher.

Mas sinceramente não tenho uma opinião formada sobre o assunto (já fui mãe há muito tempo) mas será que 99,9% dos homens também não diz não…

Percentagens há parte, e como disse no post há que mudar mentalidades sim.

De Jorge Soares a 11 de Maio de 2009 às 10:03
Bom dia

Antes de mais, gostava que lesses este post:http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/102155.html e este também: http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/103306.html

O texto e especialmente os comentários.

Quanto ao resto, estou de acordo, somos uma sociedade machista e preconceituosa, a unica diferença é que eu acho que uma grande parte da culpa é das mulheres, que muitas vezes são as primeiras a alimentar nos filhos a ideia do machismo e dos preconceitos.

Jorge
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 10:41
Bom, fui ler os posts e principalmente os comentários que não me parece que dai se possa tirar alguma ilação...
Muitas opinião femininas e as masculinas são quase nulas..

Mas a questão é: na pratica.. Estarão os homens dispostos a ficar sozinhos em casa com uma criança recém nascida ?
Algum se lembrou de perguntar aos pais se o querem fazer? Ou será apenas gostar de ter isso como um direito adquirido?

Não concordo de todo que a mulher sejam as primeiras a alimentar o preconceito e o machismo nos filhos. É mais comum ouvir o pai dizer: “mimas de mais o teu filho depois fica um maricas” ou ainda , “ sai da barra da saia da tua mãe… vem para o pé dos homens”

Pela minha experiencia como filha de uma mãe já para lá dos setenta nunca senti preconceitos nem nunca o fiz como mãe.

Mas esta conversa já se está desviar do tema;)
De Jorge Soares a 11 de Maio de 2009 às 11:01
Bom, pelo menos este pai está disposto.

Pelo que percebi és mãe.... por acaso o teu filho tem barbies?.. ou a tua filhasó tem carrinhos e bolas de futebol?

:-)
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 11:16
Óptimo é um bom começo, falta saber se não és um caso isolado.

Certíssimo sou mãe!

Hoje não te posso responder se o meu filho tem barbies …já não controlo essas coisas ... (talvez tenha alguma escondida que tenha comprado por algum recalcamento de infância):)

Mas posso dizer-te que como mãe, quando nasceu tinhas os peluches da praxe que me parece são unisexo.. e óbvio que lhe comprei alguns carros e bonecas porque lá em casa havia menino e menina.

Mas ele ,nunca brincou com carros muito menos bolas e nunca demonstrou qualquer entusiasmo por esse tipo de brinquedos sempre foi mais na base dos pazzles jogos e livros

Mas não deixo de dizer, que com muita pena minha , e não tem nada a ver com sexos , não gosta de futebol . E confesso que o tentei subornar para ser do Sporting.

Mas eu fui “menina” e nunca brinquei com bonecas , sempre preferi a bola e os carros de rolamentos o jogo da carica.. é grave?
De Jorge Soares a 11 de Maio de 2009 às 11:18
Lá agora grave.... então e roupinha cor de rosa.. tinha?

Ok.. ok, estava só a tentar provocar-te.

Jorge
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 11:52
Ainda hoje detesto cor de rosa:)
De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 09:55
Bom Dia!!

Há que mudar mentalidades e isso é um facto!
Mas tem que começar ainda antes do nascimento....
Há que acabar com aquela treta do azul para menino rosa para menina; dos carrinhos pro menino e das barbies para a menina; Nós pais temos essa responsabilidade e também nos acomodamos.
Preferimos que o nosso filho seja craque no futebol do que de sabrinas nos pés assim como as filhas, até relevamos,se forem chefes de claque mas levamo-las ao psicológo se por acaso se metem em brigas de rua se preferem carros a bonecas e por aí fora....
Não sei se serão preferencialmente as mentalidades masculinas a ter que ser mudadas. São as mulheres que educam os homens, somos nós o sexo forte, somos nós que derrubamos preconceitos portanto também nos cabe a nós combater os estereotipos!

Mas, não concordo quando dizes" As mulheres são coquetes, submissas, exageradamente emocionais e sexualmente passivas" Foram e algumas poderão ainda ser mas na maioria isso já era

De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 10:20

Bom dia , murcon ou no teu caso “murcona”

Começando pelo fim, vamos lá ver se nos entendemos, eu não disse: As mulheres são mas que isto são estereótipos baseados em preconceitos. Embora existam muitas mulheres que se valem da sua condição de (fêmeas) para atingir os fins.

Bom… é muito relativo o carro para os meninos e a boneca para as meninas .. Não me parece que seja por ai que vem mal ou mundo ou que produza algum tipo de preconceito.
Porque aqui entre nós eu adoro ser mulher e não tenho nada contra os homens, mas há diferenças visíveis entre os dois.
Não é só os pelos no peito a barba na cara ou alguma coisa mais saliente entre as pernas… são diferenças que fazem parte do nosso universo feminino que espero ver mantidas.

No meu tempo de menina ou os psicólogos não estavam na moda ou os meus pais não achavam grave… a filha brincar na rua com os rapazes com carros de rolamentos jogar a carica e até ao pião… nunca tive bonecas nunca brinquei de casinha e hoje acho-me tão feminina como qualquer outra mulher..

Talvez o problema de muita gente é castrar as verdadeiras tendências e aptidões dos filhos, e ter muito medo do que o amigo ou vizinho podem dizer… vive-se muito de aparência.

De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 11:50
Ouve lá ó murcona verde de inveja!

Eu fui o terror da minha Mãe sabias, uima maria rapaz que não se deixava ficar que jogava á bola, ás caricas, perita na fisga, subia em àrvores mesmo com vestidinhos e fitinhas no cabelo!
Depois contiuei a ser o terror dela por exactamente usar vestidos mas sem fitas no cabelo se é que me entendes, o meu Pai sempre me achou píada mas a minha Mãe ainda hoje é senhora para me dizer "isso não fica bem a uma mulher"

Outra das coisas que ainda hoje adoro é burrifar-me para o que diz ou pensa o vizinho, o meu filho brincou muitas vezes com bonecas e hoje adora futebol aliás é Portista só pode né, e tem pelos no peito e namoradas aos montes e já esqueceu as vezes que a avô lhe dizia os meninos não brincam com bonecas....

Hoje é ela que acha muito bem que ele se desenrasce se tiver que estrelar um ovos e ele adora a avô mesmo com os preconceitos todos de que não consegue livar-se!

Mas isto já vai longe e ó murcona irá haver sempre Eles & Elas e cada um que se entenda!
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 11:56
Ó Cristo eu desisto… não me batam mais..!!

Mas eu não disse nada de mais, ok eu acho que tem que se mudar mentalidades e ponto final. Mas vivam lá todos a vidinha cada um há sua maneira.

Mas antes que me esqueça o teu filho tem pelos no peito mas muito mau gosto… do porto carago…? Ninguém é perfeito

De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 14:19
Achas mesmo?? Olha que ele adora saias justas!!

Mas ele é mais napas e coisas assim, acho que de verde só mesmo o vinho

É que nalguma coisa havia de sair à mãe não achas
De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 11:11
Sempre que se levantam estas questões da igualdade entre homens e mulheres vejo que o discurso parte sempre da premissa que é o homem que tem que mudar e não a mulher. Se querem que vos diga, de gajo para gajas, acho que todo esse discurso da igualdade entre os sexos é toda uma grande treta! Não há igualdade, nunca poderá haver igualdade simplesmente porque nós não somos iguais. Nunca vi nenhuma mulher a berrar aos céus que gostava de ir para trolha. Nunca vi nenhuma mulher nas obras a carregar tijolo e a colocar cimento na betoneira. Nunca vi nenhuma mulher a partir pedra. Porquê? Porque somos mais fortes? Para isto somos mais fortes mas para o resto já não somos?? Tretas! Acho muito bem que o homem queira ter um papel mais activo na educação dos filhos. Acho muito bem que o homem, como parte integrante de um casal, se encaixe e compartilhe tarefas. Se é o homem que vai para a cozinha lavar pratos e a mulher pregar um prego, não me aquece nem arrefece, desde que o homem consiga lavar bem os pratos e a mulher consiga pregar bem um prego.Acho muito bem que, numa dada empresa, haja igualdade entre sexos, desde que as gajas não se queiram comer umas às outras e transformar tudo em telenovelas mexicanas dobradas e de má qualidade. Mas a igualdade é só no que toca ao trabalho intelectual porque se for braçal já a questão da igualdade se esquece...
Já dormi com um gajo, literalmente, já partilhei a cama com um gajo. Não afectou de todo a minha sexualidade. Continuo a ser muito macho. Mas daí a dar mão (???), irmos juntos a um WC (??????????!!!!!) isso é total e completamente inaceitável e muito muito abichanado. Só gajas é que podiam ter ideias destas. Vocês querem mudar tanto os gajos que no futuro, gajos a sério vão ser uma minoria o resto vai ser só paneleiragem selvagem. E depois?? Agarram-se a quê?
Os homens já estão a mudar. Aos bocadinhos vamos aceitando as mudanças e vamos querendo compartilhar certos e determinados espaços que antes eram só nossos. Não queiram transformar a próxima raça de gajos em bichas malucas porque, vos garanto, nesse dia, vocês irão ter muitas saudades nossas...
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 11:44
Bom… mas tem calma…

Podia começar por te disser que tudo isso é uma verdade de lá palice… claro que homens e mulheres são diferentes e ainda bem que assim é.

Referendo-me ao meu post que julgo que seja sobre ele que estamos a falar, não disse em parte nenhuma que as mulheres querem ser iguais aos homens, nunca defendi tal teoria da “treta”.

Digo sim e repito as vezes que forem precisas que as mulheres, querem e devem ter as mesmas oportunidades que os homens.

Não tenho quaisquer dúvidas que somos tão ou mais intelectualmente capazes. Já para não falar que podemos ser bem mais organizadas e metódicas.

Contra factos não há argumentos, sim, o homem é mais dotado de força física.

Existem trabalho que são executados por mão de obra maioritariamente masculina, o que não quer dizer que não aja um minoria de mulheres que não o faça… assentar tijolo, por cimento areia e cascalho na betoneira para fazer passa , etc etc. Mas sim é um trabalho de força e mais vocacionado para homens.

Assim como existem trabalhos exclusivamente femininos.

Não conheço nenhum homem que trabalhe em casa como ama de crianças, ou ainda num infantário como educador, que seja bordador , que trabalhe em uma engomadoria, ou ainda que seja depilador.. mas existem outro exemplo… não quer dizer que os homens não o façam , mas se o fizerem é uma minoria.

Mas isto não tem a ver com mentalidades.. certo? Podemos mudar a nossa maneira de pensar e estar na vida e isso não faz de nos seres fisicamente iguais.

Mas voltando ao teu comentário, as tarefas de casa repartidas é uma questão de bom senso. Se ambos trabalham é normal que repartam as tarefas.

Agora as mulheres não saberem pregar um prego já é uma questão de arrogância machista.. Há mulheres que sabem pregar pregos e há homens que sabem dar com o martelo no dedo.. É tudo uma questão de jeito.

Mas preconceito a serio e diria até tacanhezes.. e o preconceito da (gajas se quererem comer umas as outras) já para não falar da telenovela mexicana… cada um come onde quer e do que quer.. Não deixa de ser melhor ou pior pessoa por esse facto.

Mas deixa que te diga que no “entusiasmo” de escreveres acho que te perdeste um bocado.. nem tudo é branco ou preto, na vida existem varias nuances..
Ninguém falou em mudar os homens muito menos em transformá-los em bichas… embora existam por ai muitos gays mais homens que muitos machos que não tem dois palmos de testa…

Aqui está um bom exemplo do que devia ser mudado em algumas mentalidades..
(Aos bocadinhos vamos aceitando as mudanças e vamos querendo compartilhar certos e determinados espaços que antes eram só nossos. )
Bom dia








De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 13:34
É tão verdade do monsieur de la Palice o que eu escrevi como o teu artigo, na minha modesta opinião é claro, já que não tenho procuração para me pronunciar por mais ninguém.

Dizes que me "entusiasmei" na minha escrita e que nem tudo é preto e branco. Meramente me limitei a responder ao velho discurso feminista de que tudo o que acontece de mal às mulheres é culpa das mulheres. Sim, eu sei que não o disseste, é a minha leitura. Factuemos então:

"Não tenho quaisquer dúvidas que somos tão ou mais intelectualmente capazes. Já para não falar que podemos ser bem mais organizadas e metódicas."

Se tivesses dito somente "somos tão intelectualmente capazes" eu concordaria a 100%. O problema é que acrescentaste o "tão OU MAIS". Ou seja, não tens quaisquer dúvidas que, generalizando, no mínimo são iguais. Serão até mais em grande percentagem. Menos capazes intelectualmente, nunca. Discurso tipicamente feminista.

"Mas enquanto a sociedade continuar a considerar como dado adquirido que uma mulher e um homem devem ter comportamentos diferentes, vai ser difícil uma mulher transformar-se em algumas áreas, em uma profissional qualificada e ser reconhecida e respeitada como tal."

Conforme disseste, tu própria crias o estereótipo ao afirmares que as mulheres são tão OU MAIS capazes que o homem. Se a sociedade toda alinhar pela mesma via do pensamento, então estamos mesmo todos tramados porque os gajos, segundo tu, são tão OU MENOS capazes que as mulheres.

Nunca disse que as mulheres não sabiam pregar um prego.

No meu "entusiasmo" como lhe chamas, pretendi, não só, responder ao artigo, como também a alguns comentários e não está implícito qualquer divisão absoluta preto/branco, homem/mulher. Algumas mulheres pretendem dar a entender que nós, machos, é que capitalizamos o mundo todo. A verdade é que (e isto daria pano para muitos tapetes) a vida é feita de escolhas. Se um homem, optar pela vida familiar em vez da vida profissional, de certeza que muitas portas se vão fechar. A mesma coisa acontece, em muito maior escala às mulheres. Porquê maior escala? Porque muitas delas optam por esta vida. É a escolha delas. Tudo bem, so what? Mas se for um homem, já ninguém diz nada. Porquê? Será porque, segundo tu, somos tão OU MENOS intelectualmente capazes?

Eu até aceito que me digam que vivemos um mundo machista. Mas não é pelas razões que apontas.

Claro que tens todo o direito de teres a tua opinião. Tu sentes e tens registos de vida muito teus que não são necessariamente os meus (não são de todo) - mais uma verdade de la Palice

Uma boa tarde!
De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 14:24
Huau......

É pá é disto que eu gosto mesmo!!

E da discussão se faz luz será que também é uma verdade de La Palice....??? ahahahahaha

Vou assistir posso??
De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 14:34
Errata: onde se lê: "Meramente me limitei a responder ao velho discurso feminista de que tudo o que acontece de mal às mulheres é culpa das mulheres"

Deve-se ler: "Meramente me limitei a responder ao velho discurso feminista de que tudo o que acontece de mal às mulheres é culpa dos homens."

Caprichos de um intelecto menos capaz...
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 14:52
Errar é humano, a menos que os homens não o sejam.. será?
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 14:51

Então boa tarde;)

Primeiro ponto, tudo o que escrevo, seja o que for só pode ser uma visão feminina e feminista.
Feminina porque sou mulher e feminista porque me assumo feminista.
Entenda-se como feminista porque defendo direitos e oportunidades iguais assim como trabalho igual salário igual. Defendo acima de tudo os direitos da mulher a poder expressar-se livremente e não ser discriminada pelo farto de ser mulher.

A partir daqui posso responder ao teu comentário com a minha visão (não do velho ) mas do meu discurso de feminina assumida.


Não pensei que fosses levar o comentário tão a peito de modo a generalizar da maneira que os estás a fazer. ou será que de algum modo tenha feri susceptibilidades.. ;)

O facto de ter escrito que as mulheres são tão ou mais (intelectualmente capazes) não foi dito há toa..
Há provas evidentes de que actualmente os homens têm maior insucesso escolar do que as mulheres e que na parte das ciências, matemática elas dão cartas.
Mas ok, esse (mais podia ter ficado por dizer) é uma característica feminina, saber quando exagera..

Mas alguma razão haverá para esta mudança… possivelmente a mulher sempre foi considerada inferior porque não tinha oportunidade de mostrar o que valia, o acesso ao ensino era uma exclusividade masculina. Agora parece que (mano a mano eles se estão a deixar-se ultrapassar.. (intelectualmente menos capazes.. pois não sei, reponde-me tu)

A inteligência é uma coisa que se adquire ao longo da vida, seja para homens seja para mulheres, não acredito que uma pessoa seja potencialmente menos inteligente que outra, acho sim que a potencialização da nossa inteligência parte do nosso estudo, trabalho, conhecimento e empenho e isso é para homens e é para mulheres.

O mundo ainda esta monopolizado pelos homens quanto a isso não tenho qualquer duvida.
São eles que dão as cartas pelo mundo fora.. Existem muitas pouquíssimas mulheres ,embora vão parecendo algumas..
A razão ,não tenho duvidas, é uma questão de mentalidade…
Não sei se é por os homens serem intelectualmente (menos) capazes mas é de certeza por terem medo da proporção que a condição feminina pode tomar e muito medo de perder a condição de galo no poleiro.
A parte de optar pela vida profissional ou família não percebi.. desculpa as minhas limitações.

Aceites ou não vivemos num mundo machista e preconceituoso, se apontei alguma razão com que não concordes sempre me podes enumerar as tuas.

Claro que tenho direito a minha opinião, por enquanto …. E tu a tua obviamente. Tu com as tuas vivencias e eu com as minhas….
As minhas a trabalhar com muitos mais homens que mulheres apontam-me para estas opiniões que já citei.

Boa tarde também para ti , e não te zangues.. Aqui podes sempre dizer de tua justiça.
Sou feminista mas gosto de saber opiniões masculinas.

De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 15:38
Antes de tudo, não estou zangado. Adoro uma boa tertúlia desde que esta seja mental e intectualmente desafiadora.
Respondendo por atacado à outra autora deste blog, nem sempre da discussão nasce a luz. Isto é tudo menos uma verdade de la Palice (que para registo era um gajo e militar). Se um muçulmano e um cristão discutem, de certeza absoluta que um não vai converter o outro. Mas é sempre interessante o desafio...

Eu gosto muito de mulheres femininas mas, desculpa-me, já não aprecio tanto as feministas da mesma maneira que um homem deve ser masculino e não machista.

Posto isto, eu disse no comentário anterior que concordo com a afirmação que o mundo é um mundo machista. Ainda é. Não discordei. É porque ainda há muitos povos, culturas e razões sociais profundamente enraizadas que vão demorar gerações a serem mudadas. No entanto, julgo não estar a cometer nenhuma imprecisão quando digo que hoje em dia, em pleno século XXI, qualquer nação dita do mundo desenvolvido promove a livre expressão de homens e mulheres por igual. Julgo que estamos a falar de pessoas civilizadas, certo? Pelo menos estou a partir desse princípio. Caso contrário seria admitir que somos todos, homens e mulheres, uns grandes trogloditas.

Não feriste susceptibilidades nenhumas. A generalização sempre me fez muita confusão e há "pequenos" detalhes no discurso das pessoas que indicam as suas verdadeiras intenções.

"Há provas evidentes de que actualmente os homens têm maior insucesso escolar do que as mulheres e que na parte das ciências, matemática elas dão cartas."

Provas? Não sei onde foste recolher esse dados estatísticos mas posso contrapor que o sucesso ou insucesso escolar não me diz rigorosamente nada sobre a capacidade intelectual das pessoas. Muito menos neste país onde o sucesso é alcançado através de meras operações cosméticas para fins estatísticos.

"Mas alguma razão haverá para esta mudança… possivelmente a mulher sempre foi considerada inferior porque não tinha oportunidade de mostrar o que valia, o acesso ao ensino era uma exclusividade masculina. Agora parece que (mano a mano eles se estão a deixar-se ultrapassar.. (intelectualmente menos capazes.. pois não sei, reponde-me tu) "

Sim. No tempos idos, o acesso ao ensino era exclusivo do homem. Mas não concordo em absoluto que "nos estamos a deixar ultrapassar"
E não concordo porque, para já, concordar significaria que eu, como homem, estou em competição com mulheres, o que é completamente falso. Nem me acredito que os homens, em geral, estejam em competição com as mulheres. Essa é a teoria da conspiração, uma cabala organizada pelos homens. Não me acredito nem por um segundo nisto.

Homens e mulheres tem capacidades intelectuais iguais. Uns com mais aptidões para umas coisas, umas para outras. Há na história grandes mulheres assim como há grandes homens. Senão, lá voltamos aos estereótipos: As mulheres são boas organizadoras mas péssimas líderes. São capazes de raciocínio matemático mas tem problemas no domínio espacio-temporal (exemplos: estacionar um carro)

"Não sei se é por os homens serem intelectualmente (menos) capazes mas é de certeza por terem medo da proporção que a condição feminina pode tomar e muito medo de perder a condição de galo no poleiro"

Esta é a teoria da conspiração...sabes o que eu acho degradante? É, p.ex., existirem quotas de mulheres nos partidos políticos. Degradante para as mulheres, claro está. Sabes no que vai dar? Vai dar que as mulheres entram para a vida política não porque são boas mas sim para meros fins legais...

"A parte de optar pela vida profissional ou família não percebi.. desculpa as minhas limitações."

Estás desculpada ;) Quando somos ambiciosos, chegará uma altura em que, provavelmente, teremos que tomar uma opção entre a vida profssional e a familiar porque as duas colidem. Geralmente (e sublinho geralmente) as mulheres escolhem a familiar em detrimento da profissional. Geralmente também (e re-sublinho o geralmente) porque num casal, um é o sacrificado (ou não, dependendo do ponto de vista). E é por isso que a maioria das profissões de topo tem mais homens que mulheres. Está a mudar? Está. Porque também existem cada vez mais mulheres independentes. Nada contra!
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 16:25
Ok, zangado já pereci que não estás;)
Fiquei foi sem saber se a tertúlia foi Intelectualmente desafiadora :)

Ainda estive para iniciar uma conversa sobre politica, de como acabar a hegemonia de um povo sobre o outro em âmbito mundial. Ou talvez uma estratégia para fins de organização política interna. :)

Mas afinal este simples post fala de: (eles e elas…)

lamento profundamente se por acaso for intelectualmente pouco desafiador.. na próxima prometo debruçar-me sobre ( física) é sempre um tema enigmático, controverso, excitante e intelectualmente desafiador, principalmente os princípios fundamentais da mecânica quântica.

Ou aligeirando e não menos interessante sabe a vida sexual dos pinguins:)

Quanto à outra autora do blog ( que não é deste mas do pecadoras a única responsável por o que aqui se escreve sou eu) é loira mas não é burra, sabe perfeitamente quem foi Jacques de la Palice (ou de la Palisse), que foi militar e gajo. ( outra exclusividade que deixou de ser dos homens) o serviço militar.

Agora poderia começar a rebaterr algumas afirmações tuas , mas acho que já era bater no ceguinho.. vejo que estas te documentaste para responder mas tudo o que eu posso dizer mais, ou tu, é mais do mesmo.. só vou responder a duas ou três coisas por alto, visto que tu já vais até na “ teoria da conspiração “:)

Generalizas muito.. as que conheces estacionam mal também conheço vários que nem conduzir sabem.. em frente até se safam..

As cotas nos partidos são uma invenção tipicamente masculina. que obriga à inclusão de um terço de mulheres nas listas eleitorais Talvez aceite, por ser a única forma de algumas mulheres terem acesso há politica, ( como disse o homem ainda dá as cartas) mas existem meios que justificam os fins, embora eu ache que existem poucas mulheres competentes interessadas na política .

Pois lamento.. continuo a não entender o teu posto de vista quanto as opções… Pronto tu lá sabes essa parte de fazer opção entre a vida profissional e pessoal … nem consigo entender porque é que algum têm que ser sacrificado..

Resto de boa tarde
De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 16:51
Não acho que considerandos sobre Física sejam enigmáticos, muito menos controversos tendo em conta a definição de ciência exacta. Não fico particularmente excitado pela Física embora admita que seja intectualmente estimulante. Idem aspas aspas à mecânica quântica. Também não curto por aí além a vida sexual dos pinguins embora tenha algum interesse no campo dos hábitos sexuais das lesmas de quintal. Podemos sempre teorizar sobre os quasares e os seus efeitos na quimica hormonal nas galinhas de aviário.

Peço desculpas por me ter enganado na co-autoria do blog. Ainda bem que existem as wikipédias...;)

Escusavas de ter dado ao trabalho de rebater as pseudo-afirmações. Senão vejamos:

A primeira, era uma afirmação negação. Ou seja, eu disse apenas para exemplificar uma negação.

A segunda, as quotas, são uma invenção feminista e não masculina/machista.

A terceira, pode ser que um dia venhas a saber. Quanto ao sacrificado, eu fiz questão de dizer que dependia do ponto de vista.

É tudo uma questão de bom-senso.

Um bom final de tarde para ti também.
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 17:05
Bom.. daqui a pouco estamos a relativizar sobre o inicio da humanidade..
Sempre era mais viável.. As lesmas foi um animal que sempre achei nojento . Hormonas galinhas e aviários também não é assunto que me interesse de sobremaneira. .. Quem é que nasceu primeiro o ovo ou a galinha..

Ai foi ai que te foste documentar?
Não é grave muita gente o faz. Mas sempre te posso dizer que quando falei no (dito ) não preciso de pesquisar.. já cá ando há uns anitos que me permitem saber algumas coisas não muitas… mas as básicas.

Ok, não me vou dar ao trabalho de falar “mais mesmo” … :) até porque podia rebater todas as tuas afirmações.

“”A terceira, pode ser que um dia venhas a saber. Quanto ao sacrificado, eu fiz questão de dizer que dependia do ponto de vista. É tudo uma questão de bom-senso. “”

Pois quem sabe ainda venho a saber.. Mas nesta altura da minha vida dificilmente faço escolhas entre a vida profissional e familiar.

Ou seja, há pessoas de mais a depender de mim para que eu pensasse se quer a fazer tais opções.
Criar os netos também não me parece… mas que venham eles:)




De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 19:30
"Ai foi ai que te foste documentar?"

Não. Por acaso não. Mas não nasci ontem. De qualquer maneira não teria problema em admiti-lo. "Só sei que nada sei" já dizia outro grande gajo...

"Ok, não me vou dar ao trabalho de falar “mais mesmo” … :) até porque podia rebater todas as tuas afirmações."

Eu também.

Mas pronto, vem aí o jantar e tal e nada de stress. Não desconversemos.

Hasta la vista
De Saia-Justa a 11 de Maio de 2009 às 21:05
Folgo em saber que não nascestes ontem, pois eu também não, portanto a idade também me ensinou a não bater sempre na mesma tecla.

Por aqui stress nenhum e desconversar é coisa que não pretendo fazer no blog.

Mas um post tão simples deu para grandes desenvolvimentos.

Boa noite.



De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 18:52
Tudo bem gajo eu só pedi para assistir!

Mas depois disto tudo só me apetece dizer " Vou-me a ti e mando-te para as costas" mas não...acho que humor não combina contigo.
Será melhor " Estar vivo é o contrário de estar morto" sempre é uma lapalissada mas atenção! eu não me chamo Lili
De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 19:34
E então? E eu disse alguma coisa em contrário? Podias dizer essa frase mas tem direitos de autor (pronto, viste? coloquei um smiley o que é sinónimo de que sou um gajo a transbordar humor)

Não é por nada mas eu cá prefiro as leis de Murphy...

De um gajo do Norte para uma gaja do Norte

Inté
De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 20:31
Não é por nada ma para gajo do norte tens um smiley bem desmaiado!

Tal como rezam as Leis de Murphy (e aqui fui mesmo à Wiquipédia), "Quase tudo é mais fácil de enfiar do que de tirar, não é verdade??

Mas eu cá prefiro este "Quem movimenta os músculos supra
faciais mais longe do primeiro,
movimenta-os substancialmente."

De uma gaja do Norte para um gajo do Norte

Inté

De Gajo a 11 de Maio de 2009 às 20:55
Os necos é que se chamam smileys. Um neco é um smiley. Um sorriso é um smile. Um smiley não é necessariamente um sorriso - Lei de gajo acabada de fazer.

E, como atalho de foice, podíamos adaptar o adágio para quem smila (leia-se smaila) por último, não smila necessariamente melhor.

Mas por vias das dúvidas...

De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 21:13
Mas por via das dúvidas um gajo não tem de necessáriamente de ter sentido de humor.
Também há gajos no Norte com a mania, um gajo do Norte nem sempre quer dizer um gajo porreiro, um gajo com a mania também nem sempre é do Norte!

Deu para perceber? É que foi acabadinha de fazer
De R.A a 11 de Maio de 2009 às 21:26
Os homens são os principais inimigos deles próprios, com uma mão batem com a outra a sopram. Conseguem afastar o que mais amam a mulher.
De tailleur-e-saltosaltos a 11 de Maio de 2009 às 21:38
Ora nem mais!

E temos aqui um homem inteligente, com visão

Tanto pode ser do Norte como doutro lado qualquer, sabe o que diz e isso é mais que suficiente
De Saia-Justa a 12 de Maio de 2009 às 09:15
Bom dia
Acho que se aplica a ambos homens e mulheres. Deve ser daqui que vem a velha máxima quanto mais me bates mais gosto de ti.
De filhosdapauta a 11 de Maio de 2009 às 22:01
O pior inimigo do homem é o medo, mas desenganem-se mulheres não é medo da vossa espécie mas do nosso pouco controle
De Saia-Justa a 12 de Maio de 2009 às 09:19
Ora, ora, aqui esta uma coisa que é discutível...
O pior inimigo do homem é o medo até aqui …. Mas não é da mulher é do vosso pouco controle. Resumindo as mulheres é que vos fazem perder o controle? Bom mas que poder que elas (nós) temos..

Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 30 seguidores

.pesquisar

.Março 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
24
26
27
28
29
30
31

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Um par de meias...

. Música é música

. O silêncio é de ouro…

. Cambada...

. Diazinho...

. Na vida nada bate o praze...

. Heaven

. O respeitinho é muito bon...

. Momentos

. O Cônsul Desobediente

.arquivos

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.últ. comentários

Pois eu achei o máximo
Para inicio de conversa , quando me quiser confess...
Cómico
O tempo passa;)A verdadeira personalidade da “che...
Pontos de vista... Há quem se deixe seduzir por um...
Um bom filho a casa torna… ora se não é o RA ..:))...
Publicidade duvidosa (risos)
Esta ou a outra? Fico sempre na dúvida. Ou como di...
E outra que não necessitam de explicação;)
Há coisas que nem o café explicam...hehe